Tag Archives: livro

Especial Harry Potter III – Livros

19 nov

Harry Potter e as Relíquias da morte

Nome: Harry Potter and the Deathly Hallows
Data de lançamento: Julho de 2007 – Grã-Bretanha // Novembro de 2007 – Brasil
Editora brasileira: Rocco
Editora oficial: Bloosmbury
Páginas: 592 páginas

Sinopse Oficial

Voldemort está cada vez mais forte e Harry Potter precisa encontrar e aniquilar as Horcruxes para enfraquecer o lorde e poder enfrentá-lo. Nessa busca desenfreada, contando apenas com os leais amigos Rony e Hermione, Harry descobre as “Relíquias da Morte”, que serão úteis na batalha do bem contra o mal. Ação eletrizante conduzida com maestria por J. K. Rowling, concluindo os passos de herói de Harry Potter na maior saga bruxa de todos os tempos.

Capítulos

  • 01 – A Ascensão do Lorde das trevas
  • 02 – In Memoriam
  • 03 – A Partida dos Dursley
  • 04 – Os Sete Potter
  • 05 – O Guerreiro Caído
  • 06 – O Vampiro de Pijama
  • 07 – O Testamento de Dumbledore
  • 08 – O Casamento
  • 09 – Um Esconderijo
  • 10 – A História de Monstro
  • 11 – O Suborno
  • 12 – Magia é Poder
  • 13 – A Comissão de Registro dos Nascidos Trouxas
  • 14 – O Ladrão
  • 15 – A Vingança do Duende
  • 16 – Godric’s Hollow
  • 17 – O Segredo de Batilda
  • 18 – A Vida e as Mentiras de Alvo Dumbledore
  • 19 – A Corça Prateada
  • 20 – Xenofílio Lovegood
  • 21 – O Conto dos Três Irmãos
  • 22 – As Relíquias da Morte
  • 23 – A Mansão dos Malfoy
  • 24 – O Fabricante de Varinhas
  • 25 – O Chalé das Conchas
  • 26 – Gringotes
  • 27 – O Esconderijo Definitivo
  • 28 – O Espelho Desaparecido
  • 29 – O Diadema Perdido
  • 30 – A Demissão de Severo Snape
  • 31 – A Batalha de Hogwarts
  • 32 – A Varinha das Varinhas
  • 33 – A História do Príncipe
  • 34 – De Volta à Floresta
  • 35 – King’s Cross
  • 36 – A Falha no Plano
  • Epílogo – Dezenove Anos Depois

As Relíquias da Morte

As Relíquias da Morte são presentes dado pela Morte aos irmãos citados no livro infantil Os Contos de Beddle, o Bardo. Esses objetos eram a Varinha das Varinhas, a Pedra da Ressurreição e o Manto da Invisibilidade. Esses três objetos mágicos são representados pelo símbolo que representa cada relíquia (um triângulo, um círculo e um risco no meio).

Os Contos de Beedle, o Bardo

O livro Os Contos de Beedle, o Bardo, são histórias contadas para as crianças bruxas. No livro Harry POtter e as Relíquias da Morte, o livro é deixado por Dumbledore para Hermione, sendo que, somente um dos cinco contos é citado no livro, ‘O Conto dos Três Irmãos’.

A autora J. K Rowling desenvolveu, escreveu à mão e desenhou somente sete cópias do pequeno livro, entre os quais, seis deu para pessoas que a ajudaram ao decorrer da saga Harry Potter, sendo que cada livro tem uma dedicatória diferente, e somente um foi leiloado para ajudar a Instituição Children’s Voice, que ajuda crianças desamparadas de toda Europa, na qual J.K. Rowling é co-fundadora. Em um leilão milionário a Amazon.com adquiriu o pequeno livro e divulgou os contos para os fãs. Todas as cópias têm sua capa revestida com couro marroquino e é enfeitado de pedras semipreciosas e prata. São os contos:

O Mago e o Caldeirão Saltitante
A Fonte da Grande Fortuna
O Coração Peludo do Mago
Babbity a coelha, e seu Tronco que Cacarejava
O Conto dos Três Irmãos

No começo a autora J.K. Rowling tinha em mente que o livro teria mais ou menos trinta contos no total, mais isso não foi possível depois que a autora se deu conta de que os publicaria e escreveria todos à mão. Em uma recente entrevista, a autora falou que: ‘esses livros são uma forma maravilhosa para dizer adeus à saga Harry Potter’.

O conto mais famoso e de grande destaque no livro, o Conto dos Três Irmãos, pode ser lido abaixo:

“Era uma vez três irmãos que viajavam numa estrada deserta e tortuosa ao anoitecer. Depois de algum tempo, os irmãos chegaram a um rio fundo demais para passar a pé e perigoso demais para atravessar a nado. Os irmãos eram, porém, exímios em magia, e então simplesmente agitaram as suas varinhas e fizeram aparecer uma ponte sobre as águas traiçoeiras. Iam a meio da ponte quando viram o caminho bloqueado por um vulto encapuzado. E a Morte falou-lhes. Estava zangada por ter sido roubada em três novas vítimas, porque o normal era os viajantes se afogarem no rio. Mas a Morte era astuta. Fingiu felicitar os três irmãos pela sua magia, e disse que cada um ganharia um prêmio por ter sido inteligente o bastante para lhe escapar. Então, o irmão mais velho, que era um homem combativo, pediu uma varinha mais poderosa que todas as que existissem: uma varinha que vencesse sempre todos os duelos, uma varinha digna de um feiticeiro que derrotara a Morte! Então, a Morte atravessou a ponte, dirigiu-se a um velho sabugueiro na margem do rio, moldou uma varinha de um galho da árvore e entregou-a ao irmão mais velho. Depois, o segundo irmão, que era um homem arrogante, resolveu humilhar ainda mais a Morte e pediu o poder de restituir a vida aos que ela levara. Então a Morte apanhou uma pedra da margem do rio e entregou-a ao segundo irmão, dizendo-lhe que a pedra tinha o poder de ressuscitar os mortos. Depois, a Morte perguntou ao terceiro e mais jovem dos irmãos, o que queria. O irmão mais novo era o mais humilde e também o mais sensato dos irmãos, e não confiava na Morte. Pediu, então, algo que permitisse ele sair daquele lugar sem ser seguido pela Morte. E a Morte, de má vontade, entregou-lhe o seu próprio Manto da Invisibilidade. Depois a Morte afastou-se para um lado e deixou os três irmãos continuarem o seu caminho e foi o que eles fizeram, comentando, com espanto, a aventura que tinham vivido e admirando os presentes da Morte. No devido tempo, os irmãos se separaram, seguindo cada um o seu destino. O primeiro irmão viajou uma semana ou mais e, ao chegar a uma vila distante, procurou outro feiticeiro com quem tinha desavenças. Armado com a Varinha de Sabugueiro como arma, ele não poderia deixar de vencer o duelo que se seguiu. Deixando o inimigo morto estendido no chão, o irmão mais velho dirigiu-se a uma estalagem, onde se gabou, em alto e bom som, a poderosa varinha que arrancara à própria Morte, e que o tornava invencível. Na mesma noite, outro feiticeiro aproximou-se silenciosamente do irmão mais velho enquanto dormia na sua cama, embriagado pelo vinho. O ladrão levou a varinha e, para a cautela, cortou o pescoço ao irmão mais velho. Assim a Morte levou o irmão mais velho. Entretanto, o segundo irmão viajou para a sua casa, onde vivia sozinho. Aí, tomou a pedra que tinha o poder de ressuscitar os mortos e girou-a três vezes na mão. Para seu espanto e satisfação, a figura da rapariga em que tivera esperança de desposar, antes da sua morte precoce, surgiu instantaneamente diante dele. Contudo, ela estava triste e fria, separada dele como que por um véu. Embora tivesse retornado ao mundo dos mortais, o seu lugar não era ali, e ela sofria. Por fim, o segundo irmão, enlouquecido pela saudade, matou-se para poder verdadeiramente se unir a ela. E assim a Morte levou o segundo irmão. Embora a Morte procurasse o terceiro irmão durante muitos anos, jamais conseguiu encontrá-lo. Somente quando atingiu uma idade avançada é que o irmão mais novo tirou, finalmente, o Manto da Invisibilidade e o deu ao seu filho. “E então acolheu a Morte como uma velha amiga e acompanhou-a de bom grado, e como iguais, partiram desta vida.”

O primeiro artefato mágico dado pela Morte, a Varinha das Varinhas, foi um pedido do irmão mais velho, ele queria ter a varinha que tivesse poder suficiente para vencer a todos os duelos e que lhe trouxesse a honra de alguém que derrotara a morte. A varinha era feita de madeira de sabugueiro, a qual fora encontrada nas margens do rio onde os irmãos e a Morte se localizavam. Porém, na mesma noite em que o bruxo conseguiu a varinha, um ladrão roubou ela enquanto ele dormia e foi morto pelo bandido. Assim, a Morte levou o irmão mais velho consigo. A Varinha das Varinhas era por longo tempo a varinha de Dumbledore, que após a sua morte pertenceu à Draco e agora de Harry Potter. No entanto, Harry devolve a varinha ao seu “legítimo” dono, Alvo Dumbledore, deixando-a no túmulo do diretor.

Varinha Anciã

A Varinha Anciã foi uma das relíquias da Morte dada a um dos irmãos Peverell, que queria possuir uma varinha que o fizesse invencível e que ganhasse qualquer duelo, segundo o conto Três Irmãos, encontrado no livro Os Contos de Beedle, o Bardo.

O fascínio que gerava a posse de um bruxo sobre a varinha invencível fez com que bruxos lutassem para ter a posse de tal. Um bruxo só poderia se tornar realmente dono da varinha se matasse o dono atual ou toma-la sem consentimento. Apesar de muitos gabarem ter a tal Varinha das Varinhas, realmente foram poucos os bruxos que a tiveram. Depois de passar de mão em mão, a Varinha reaparece na mão do produtor de varinhas, Gregorovitch. Anos mais tarde, a varinha iria ser roubado de si por Grindewald, que desejava possuir todas as relíquias da morte. Grindewald planejava fazer coisas maléficas as pessoas quando fosse dono da varinha anciã. Assim, Dumbledore o desafiou em duelo, que ficou marcado na história bruxa recente, no qual saiu campeão e dono da Varinha das Varinhas. Dumbledore ficou sendo por mais de cinqüenta anos proprietário da Varinha. Após sua morte, Voldemort impaciente com a ligação de sua varinha com a de Harry, queria possuir a Varinha Anciã para que enfim pudesse derrotar Harry em um duelo. Depois de torturar e matar pessoas em busca da varinha, Voldemort violou o túmulo de Dumbledore e acreditou que enfim era dono da varinha.

Mesmo com a varinha, Voldemort sentia que seus feitiços não faziam o efeito desejado e concluiu que Snape era o dono da varinha, pois tinha matado Dumbledore. Mal Voldemort sabia que a morte de Dumbledore tinha sido planejada, então Snape não poderia ser realmente o dono da varinha, sendo que minutos antes, Draco Malfoy desarmou Dumbledore e tornou-se dono da varinha Anciã. Na noite em que Harry foi parar na Mansão dos Malfoy, Harry roubou a varinha de Draco, tomando-a sem seu consentimento, sendo assim, no final das contas, o dono da Varinha Anciã era Harry Potter.

Depois de a própria varinha se virar contra Voldemort e Harry o matar, a varinha voltou ao túmulo de Dumbledore. O único feitiço que Harry fez com a varinha foi consertar sua antiga varinha. Para todos os efeitos, Harry falou que irá morrer de morte natural, então, a magia da varinha irá se acabar junto com a morte de Harry.

A Pedra da Ressurreição é na verdade o Anel de Servolo Gaunt, quem recebeu a pedra foi o segundo irmão, como presente da Morte. Na mesma noite, o bruxo desejou a volta de sua mulher – já que o poder da pedra era de ressuscitar os mortos -, porém, quando sua mulher amada volta, ele percebe que ela aparenta triste e fria, com isso, o segundo irmão se suicida, para se juntar à mulher que tanto amava. No final do livro, descobrimos que Dumbledore havia colocado a Pedra dento do Pomo de Ouro e Harry viu todos os seus familiares mortos, na noite da batalha final.

Pedra da Ressureição

A Pedra da Ressurreição é umas das Relíquias da Morte citados no último livro da saga Harry Potter, Harry Potter e as Relíquias da Morte. Ela teria sido dada ao segundo irmão, Cadmo Peverell, pela Morte depois dos três irmãos a terem vencido, segundo o conto dos Três Irmãos presente no livro Os Contos de Beedle, o Bardo. Com a pedra em seu poder, acredita que pode vencer a morte trazendo as pessoas de volta a vida. Volta para sua casa e a gira em sua mão três vezes, fica abismado ao ver a garota que tanto queria se casar, antes de sua morte, aparecendo na sua frente. Mesmo estando tão perto dele, ela está fria e molhada e é separada dele por um véu. Cadmo entra em desespero por não poder toca-la e acaba se suicido para assim poder ficar com sua amada.

Desde então a pedra percorreu pelas famílias bruxas de sangue puro, até ser vista novamente com Servolo Gaunt, que a usava acreditando que era sinônimo do poder de sua família. Tempos depois, Voldemort usa o mesmo anel para fazer dele uma das suas sete horcruxes, aprisionando um dos pedaços de sua alma dentro do anel. Dumbeldore volta a casa dos Gaunt e encontra o anel. O destrói e o coloca dentro do primeiro pomo de ouro capturado por Harry em Hogwarts. Harry não entende o porque de Dumbledore ter lhe dado o pomo em seu testamento. Somente quase no fim do livro, Harry descobre o que Dumbledore tinha feito e a alma de seus pais e Lupin o encorajam a seguir em frente na batalha contra Voldemort.

E por último, o Manto da Invisibilidade foi dado ao irmão menor, por ele não acreditar na Morte, buscou a maneira de sair livremente sem que a Morte o encontrasse. Com isso, ele foi o único irmão que sobreviveu, passou sua vida inteira debaixo da capa e depois só saiu dela quando deu ao seu filho. A capa passou de geração em geração até chegar à Harry Potter, que hoje possui a Capa da Invisibilidade.

Capa da Invisibilidade

Uma das únicas capas da invisibilidade existentes hoje pertence a Harry Potter. Ele a ganhou quando cursava o seu primeiro ano em Hogwarts; foi um presente de Natal de Dumbledore. A capa chegou nas mãos de Dumbledore através de Tiago Potter, pai de Harry, que a ganhou de um dos moradores de Godric’s Hollow, quando se mudou para lá.

A capa da invisibilidade tem o poder de ocultar tudo que está sob ela. Harry Potter a usou muito em todos os seus anos em Hogwarts; quando não era para esconder a si, era para esconder também os seus leais amigos, Rony e Hermione.

No último livro da série, descobrimos que o primeiro dono da capa foi Ignoto Peverell, um ancestral de Harry. O livro Os Contos de Beddle – O Bardo, que Dumbledore deixou de herança à Hermione, diz que Ignoto a ganhou da própria Morte, quando conseguiu atravessar com a ajuda de sua varinha um rio que até lá ninguém tinha conseguido atravessar sem morrer afogado.

Horcruxes

Diário de Tom Riddle (destruído em Câmara Secreta)
Medalhão de Salazar Slytherin (destruído em Relíquias da Morte)
Taça de Helga Hufflepuff (destruído em Relíquias da Morte)
Diadema de Ravenclaw (destruído em Relíquias da Morte)
Anel dos Gaunt (destruído em Enigma do Príncipe)
Nagini (destruído em Relíquias da Morte)
Harry Potter (destruído em Relíquias da Morte – apenas a parte em que vivia uma parte da alma de Voldemort)

Anúncios

Querido John

25 out

Filme: Querido John

John Tyree (Channing Tatum) é um jovem soldado que está em casa, licenciado. Um dia ele conhece Savannah Curtis (Amanda Seyfried), uma universitária idealista em férias por quem se apaixona. Eles iniciam um relacionamento, só que logo John precisará retornar ao trabalho. Dentro de um ano ele terminará o serviço militar, quando poderão enfim ficar juntos. Neste período eles trocam diversas cartas, onde cada um conta o que lhe acontece a cada dia.

 

Título original: (Dear John)
Lançamento: 2010 (EUA)
Direção: Lasse Hallström
Atores: Channing Tatum , Amanda Seyfried , Richard Jenkins , Henry Thomas , D.J. Cotrona
Duração: 1h 45min
Gênero: Romance
Status: arquivado
Site oficial: http://www.queridojohn.com.br

Melancia

7 jul

Foi demais da conta para Claire o dia do nascimento da sua filha. Ao acordar no quarto do hospital depara com o marido olhando-a na cama. Deduzindo tratar-se de algum tipo de sinal de respeito, ela nem suspeita de que ele soltará a notpicia da sua iminente separação: “Ouça, Claire, lamento muito, ms encontrei outra pessoa e vou ficar com ela. Desculpe quanto ao bebê e todo o resto, deixar você desse jeito…” Em seguida, dá meia-volta e deixa rapidamente o quarto. Defato, ele sai quase correndo.
Com 29 anos, uma filha recém-nascida nos braços e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais da gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal!
Não tendo nada melhor em vista, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; uma mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e um pai à beira de um ataque de nervos. Depois de muitos dias em depressão, bebedeira e choro, Claire decide avaliar os prós e contras de um casamento de três anos. E começa a se sentir melhor. Aliás, bem melhor. É justamente nesse momento que James, seu ex-marido, reaparece, paea convence-la a assumir a culpa por te-lo jogado nos braços de outra mulher.. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa…

 

(estou lendo esse livro e recomendo)

Mais um pouco da Saga Crepusculo

23 mar
Bom pra quem não conhece e pensa que é chato vou colocar um resuminho que eu achei na internet de cada livro.

Crepúsculo: Isabela Swan vai morar com seu pai em uma nova cidade, depois que sua mãe decide casar-se novamente.
No colégio, ela fica fascinada por Edward Cullen, um garoto que esconde um segredo obscuro, conhecido apenas por sua família. Eles se apaixonam, mas Edward sabe que quanto mais avançam no relacionamento, mas ele está colocando Bella e aqueles à sua volta em perigo.
Quando ela descobre que Edward é, na verdade, um vampiro, ela age contra todas as expectativas e não tem medo da sede de sangue de seu grande amor, mesmo sabendo que ele pode matá-la a qualquer momento.

Lua Nova: O romance entre vampiro e mortal é elevado a novo nível, quando Bella Swan (Kristen Stewart) tem que enfrentar seu destino pelo amor do vampiro Edward Cullen (Robert Pattinson). Como ela entra de cabeça nos mistérios do mundo sobrenatural que ela aspira em fazer parte, Bella descobre alguns segredos antigos que a coloca mais em perigo do que nunca.
Logo após Bella completar 18 anos, Edward decide deixá-la para trás em um esforço para protegê-la. Com uma tristeza inconsolável, Bella atravessa seu último ano de escola dormente e sozinha e descobre que ela pode chamar a imagem de Edward sempre que se coloca em perigo. Seu desejo em estar com ele a qualquer custo a leva a assumir riscos cada vez maiores, incluindo um novo gosto por passeios de motocicleta em alta velocidade. 

Com a ajuda de Jacob Black (Taylor Lautner), seu amigo de infância e um membro da misteriosa tribo Quileute, Bella reforma uma moto para suas aventuras. O coração congelado de Bella está gradualmente descongelando por sua relação de amizade com Jacob, que tem seu próprio segredo sobrenatural.
Quando Bella perambula sozinha em um prado, ela se vê cara a cara com um mortal adversário. Apenas a intervenção de uma matilha de lobos extraordinariamente grandes a salva de um terrível destino e o encontro torna assustadoramente claro que Bella ainda está em grave perigo. Em uma corrida contra o relógio, Bella descobre o segredo antigo da tribo Quileute e a verdadeira motivação de Edward para sair de sua vida. Ela também enfrenta a perspectiva de uma reunião com seu amado, que acaba sendo muito diferente e mais perigoso do que ela esperava.

Eclipse: Em uma cidade perto de Forks, um exército de vampiros “recém-nascidos” está à solta nas ruas de Seattle, e Edward está mais alerta que nunca. Enquanto os Cullen vêem este problema como uma desculpa para receberem uma visita dos Volturi, Bella preocupa-se mais em escolher a sua amizade com Jacob Black (permanecendo humana, mas entregue ao castigo dos Volturi por ser a única humana a saber sobre a existência de vampiros) ou o amor que sente por Edward (sendo transformada em vampira e não sendo castigada pelos Volturi) e originar uma batalha entre lobisomens e vampiros, pondo a sua nova família e os seus antigos amigos em risco.
 

Enquanto isso, Edward pede Bella em casamento, que aceita seu pedido. Bella descobre que Victoria é a criadora dos novos vampiros (ela quer se vingar de Edward por ter matado James, seu companheiro. Já que Edward o matou, ela pretende matar Bella) e uma batalha para proteger a adolescente começa. Bella se sente confusa com os novos sentimentos que surgem dentro de si, o amor de Jacob Black que vem a ser uma dúvida e o medo da pós-transformação. Os lobisomens aliam-se aos Cullen (que antes eram inimigos mortais) e Victoria é morta por Edward. Os Volturi aparecem mas eles confiam em que Carlisle vai transformar Bella em vampira.

Amanhecer: Bella e Edward se casam e passam a lua-de-mel em uma ilha do Atlântico, perto do Rio de Janeiro, mas Bella descobre estar grávida, e então o casal volta repentinamente para casa. Edward não aceita que Bella tenha o filho, pois tem medo que a criatura mate ela. Ela, no entanto, quer ter o filho. Então pede para que Rosalie ajude-a para que ninguém se aproxime durante a gravidez.

O bebê representa uma “maldição” para os Lobisomens, pois não sabem que criatura irá nascer e que tipo de perigo representa. O bando planeja destruí-la antes que ela nasça, e consequentemente, Bella também. Jacob não aceita isso e se rebela contra o bando. O bebê acaba por machucar Bella apenas por se mexer, a medida que a gestação avança, e logo os Cullen descobrem que devem alimentar Bella com sangue para que a criança não a mate, e ela segue a instrução. A gestação dura pouquíssimo tempo, a criança nasce e Edward transforma Bella em uma vampira antes que ela morra depois do parto. Ela descobre que pode controlar seus desejos por sangue melhor do que se esperava de um vampiro recém-criado. A criança é uma menina, diferente do que Bella pensava, e recebe o nome de Renesmee.

 

Saga Crepusculo

23 mar

Bom hoje eu termino de ler o livro Eclipse =DDD e estou muito empolgada, cada dia que passa a historia vai ficando cada vez melhor e ontem quando estava na facul tentei decifrar a capa do livro e não consegui então vou colocar aqui o que quer dizer cada capa.


Twilight: A maçã na capa representa a fruta proibida no livro de Genesis. Simboliza o amor entre Bella e Edward, que é proibido. Também representa a sabedoria de Bella do que seja o bem e o mal, e a escolha que ela tem em morder ou não a ‘fruta proibida’, Edward.


 

New Moon: A capa e o nome New Moon não se referem aos lobos. E sim a quando o sol esta no lado oposto da lua (de onde estamos), e por isso o lado iluminado da lua não é visível da terra. Esse é o tipo de noite mais escura. New Moon é o período mais sombrio e escuro da vida de Bella.


 

Eclipse: O laço partido representa escolha, como no livro, onde Bella deve escolher entre seu amor pelo vampiro, Edward e sua amizade com o lobo, Jacob Black. E também esse laço representa a idéia que Bella não pode se separar totalmente de sua vida humana.


 

Breaking Dawn: Essa capa é um metáfora para a progressão de Bella durante toda a saga. Ela começou como o peão, peça mais fraca no tabuleiro (ao menos fisicamente, quando comparada aos vampiros e lobos). E ela terminou como a mais forte: a rainha. No final, é Bella que traz a vitoria para os Cullens.